terça-feira, 10 de julho de 2012


MÃE SOLTEIRA

Não foi descaramento,
Nela não havia maldade.
Apenas impulsos, arroubos,
 ... Sintomas da pouca idade.
Ovelha negra era agora
Na boca da sociedade

Sua barriga crescia,
Seu vestido encurtava,
Sua cintura antes fina,
Dia a dia engrossava,
E o filho feito a dois
Sozinha ela carregava.

Seguiu firme sua sina
Carregando barriga e dor.
Lembrava da mãe de cristo
Que pelo seu filho lutou.
E entregava seu destino
Nas mãos do redentor.

Em nenhum momento,
Seu ato a envergonhou.
Com o nariz empinado,
A caminhada continuou.
Segurou firme nos braços,
O que o ventre lhe ofertou.

Boa mãe é com certeza,
E a outro filho deu a luz.
Continua mãe solteira,
Sem achar que é uma cruz.
Sem dizer amém as regras
Que a sociedade produz.

Apontada como exemplo,
De mãe bem sucedida,
Pelos que antigamente
A chamavam de perdida.
Ela sorri ironicamente

Das voltas que dá a vida.



Texto lindo, perfeito. Descreve de forma poética minha trajetória, a trajetória de todas as mães solo.
Cada trechinho me fez recordar o que vivenciei, o que senti por nove meses.
Enfrentei de nariz empinado os olhores dos meus visinhos, e de muitas pessoas. Enquanto falavam de mim eu passava sorrindo conversando com a barriga... rsrs os fofoqueiros se ofuscavam com o brilho que eu levava.
Ah não foi fácil carregar meu anjinho sem o apoio do pai, tendo que enfrentar os olhares das pessoas que me viam caminhar sosinha, que me observavam no pré-natal sem o pai ao meu lado ( essa era a pior parte). O que mais via era as pessoas hipócritas olhando para minha barriga e em seguida para minhas mãos, procurando uma aliança, uma bendida aliança... e eu olhava firme para essas pessoas demosntrando, mesmo que com dor, toda minha força, e todo orgulho em estar grávida.
Entregava tudo à Deus, orava com Pedro todas as noites e em quase todas as noites derramava lágrimas de solidão, de medo, de angústias, mas Deus cuidava de mim e usou muitos anjos-amigos para ajudar nessa missão.
Mas não canso de dizer, valeu a pena enfrentar tudo isso. Hoje tenho em minha vida o sorriso mais lindo, o amor mais verdadeiro e mais puro.
Hoje me orgulho em saber que sou vista como exemplo de força por muitos e me orgulho mais ainda em ser a mehor mãe que posso ser.

E as mamães que estão passando por isso nesse momento, peço que tenham força, ocupem suas mentes com coisas boas, curtam sua gestação, deixem ser tomadas por esse amor e andem de cabeças erguidas, pois vocês foram abençoadas por um dom divino, mágico, lindo. Ah, e tirem muitas fotos! rsrs além de distrair, é uma recordação maravilhosa.
Não percam esses momentos por causa das angústias. A dor faz parte, chorar é muito bom, alivia. Mas isso deve ser só por um momento. Lenvante-se em seguida com um lindo sorriso e o nariz empinado para os hipócritas. Escolha ser feliz!

Boa noite.




Um comentário:

Marina Rocha disse...

q lindooooooooooo, amei o texto, amei a foto.

beijos,