sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Blog da Nestlé x Presença do PAI

Boa noite!

Minha amiga do blog Grávida, estado civil mãe (solteira), fez um post para o blog da Nestlé em homenagem à data "comemorativa" do próximo domingo. Retratou perfeitamente o que sinto nesse momento exercendo o papel de mãe e pai na vida do meu filhão Pedro.


Parabéns Mamãe Flávia por toda garra durante todo esse tempo e pelo belissímo post que você escreveu. Assim como você sou mãe solteira desde que recebi o resultado POSITIVO. Assim como você enfentei (e enfrento)  muita coisa nessa surpreendente jornada, "carrego nos ombros a graça de um pai", o qual o pai genitor não se honrra em carregar, e consequentemente não sente o quanto é maravilho a graça de um filho em nossas vidas.
Mas enfim, quem está perdendo com isso? Eles, os genitores. Estão perdendo de realmente serem dignos de serem parabenizados nesse dia tão especial, porque ser pai não é apenas dar um nome no registro, é amar, é se fazer presente, É PARTICIPAR. E sinceramente nunca vou conseguir entender (apesar de tentar muito) o que afasta um pai de viver esse amor. Eu sei que no começo é um susto, a imaturidade masculina fala mais alto em alguns homens, mas o tempo passa e junto com ele também deveriam passar essa imaturidade... mas não é isso que acontece.

Agora pouco estava pensando na importância da presença do pai na vida do meu filho. Será que ele sente falta? Ele demonstra um afeto tão grande quando estar com um dos tios dele (meus amigos e padrinho), parece se sentir tão bem. E quando vê o pai é a mesma coisa, mesmo que demore muito, ele olha com afeto para ele.. como se reconhece ser ele O PAI. Mas e se realmente ele sentir falta? Como posso suprir esse espaço? Por mais amor que eu e minha mãe dê, a presença masculina é diferente... E isso as vezes, confesso, me deixa zonza. Pedro é um menino feliz, alegre, saudável... a ausência masculina não o faz ser menos feliz, mas a presença o faz bem, entende? E depois de perceber isso, parei para pensar em mim mesma.. é, eu também fui criada sem um pai presente e INFELIZMENTE "não fiz" da história do meu filho diferente, digo infelizmente porque sei que é tudo é mais difícil quando se é fillho de mãe solteira... Sempre olhei para minha mãe enxergando as duas pesenças nela, mas mesmo assim por vezes "me sentia abandonada" perto de outras crianças/adolescentes com pais presentes...  E como devo agir com relação ao meu filho que vive essa situação, mesmo ainda sendo um bebê, e o mais intigrante para mim é que ele é um homensinho.. o que torna mais importante uma boa referência masculina. Sei que muita coisa ainda pode acontecer e o pai pode até vim a se tornar presente na vida de DO FILHO, pois para Deus nada é impossível, mas enquanto as coisas com relação ao pai não mudam, eu tenho dois principios que espero conseguir seguir sempre, na criação do meu Pedro, o  1º: Não transmitir para meu filho os problemas que passei com o pai dele, evitando falar mal do pai na frente dele, não quero sujar a imagem do pai, isso é muito importante na formação do caráter dele. (espero que o próprio não se suje com o filho). 2° Estimular a convivência dele com outros homens das nossas vidas, como o padrinho que é uma pessoa maravilhosa e alguns amigos e familiares meus que  o amam muito, o importante é que seja com pessoas que transmitam confiança e afeto por ele. 
Só sei que vou fazer de tudo para tornar o meu filho um homem de caráter, independente da presença do pai. Acreditem, hoje em dia esse se tornou meu maior objetivo e sonho, quero tanto que ele seja um homem responsável, de bom coração, que nos ame, nos respeite, que tenha Deus no coração... Peço tanto isso a Deus. Tenho medo de não ter garra para "torná-lo" assim, pois o mundo está cada dia pior.  Acredito no seguinte: Não adianta fazer mil campanhas clamando um mundo melhor para nossos filhos, pedindo para cuidar da natureza, etc. Precisamos sim é preparar bons filhos para esse mundo que está tão triste.

Bjus!!!

### Um dia a gente aprende a conviver com uns. E a sobreviver sem outros.
(Caio Fernando Abreu) ###



Nenhum comentário: